27 de jun de 2012

LINHA DO TEMPO


INSTITUTO DE PESQUISA   DAS CULTURAS NEGRAS
 Av  Mem de Sá, 208, Lapa, Rio de Janeiro, CEP 20230-152 
 
A Linha do Tempo ainda é sem dúvida a nossa maior perda na Diáspora. Sem Territórios ou Identidade, resta-nos no terceiro milênio, o consolo de ter reconhecidos inúmeros patrimônios imateriais. A tática escravagista de dominação através do desmantelamento das famílias com a troca dos nomes africanos nos traz prejuízos até os dias de hoje. A própria África, a Grande Mãe do passado, foi excluída em definitivo de nossos corações e mentes. Hoje mesmo após o fim do colonialismo, ainda sabemos muito menos de Lá, e assim vamos levando nossas vidas neste continente além mar.
No início da década de setenta, a criação do IPCN, representou uma tentativa de sucesso para recuperação de territórios e identidades e a conquista objetiva de um Patrimônio Material. De pronto a velha estética a nós imposta foi transformada, numa revolução sem precedentes, desde o fim obrigatório dos alisamentos dos cabelos; do uso de roupas sem expressão e; a transformação da palavra Negro, antes pejorativa, agora com maiores significâncias.
Mas, por algum motivo esta iniciativa não conseguiu ultrapassar o milênio, repetindo em escala menor a perda histórica. Felizmente um Grupo de associados e simpatizantes resolveu reverter este quadro, iniciando um processo de “Recuperação do IPCN”, muito deles em seu primeiro contato com a Instituição. E, com este processo, naturalmente, um novo cisma: - Afinal, quem pode se referir ao IPCN com maior propriedade? Os seus fundadores? Os sócios mais antigos? Os meros freqüentadores? Ou como dizem os mais exaltados, os seus AFUNDADORES? Qualquer que seja a escolha a nossa Linha do Tempo estará irremediavelmente perdida.
O IPCN está de pé novamente e logo voltará a ser Grande! E, na perspectiva de permitir aos verdadeiros militantes que restabeleçam seus compromissos com a história do IPCN, estamos abrindo a possibilidade de integralização, mesmo em parcelas, de todas as anuidades de R$ 60,00, relativas à existência do IPCN, sem juros ou correções, práticas alheias à nossa cultura.
Os responsáveis pela salvaguarda deste imenso Patrimônio Material, por justo, receberão a partir disso, os merecidos cargos honoríficos de: SUPER GUARDIÃO DO IPCN (37 anos - 1975-2012), GRANDE GUARDIÃO DO IPCN (27 ANOS: 1985-2012) GUARDIÃO DO IPCN (17 ANOS: 1975 – 2012) e; a partir da Recuperação (3 ANOS: 2009 a 2012) SÓCIO ESPECIAL DO IPCN. Reconhecimento, aberto a TODOS, assumirem, com livre acesso, assim que o desejarem, por integralização desses períodos a qualquer época.
Como não recebemos nenhum arquivo da diretoria anterior, caberá a cada um, que quiser fazer parte desta relação, verificar quais são as anuidades que não teve oportunidade para quitar, ou mesmo escolher por quantos anos pretende fazer parte da Recuperação desse Patrimônio. Os valores depositados pelos atuais e futuros doadores, serão transformados em anuidades, após preenchimento da Ficha Padrão: Recadastramento, Guardiões em suas graduações por período escolhido, Filiação ou Refiliação, em respeito ao tempo anterior, a partir de 2012.

 CNPJ  42.598.227/0001-20    
 BANCO BRASIL, Conta 24810-X  B Brasil  Ag 3520-3  



Nenhum comentário:

Postar um comentário