24 de jan de 2013

PERDEMOS ZÓZIMO BULBUL

Menos um no Navio!

É com grande tristeza e medo que comunicamos o falecimento de Zózimo Bulbul. 

Tristeza pela perda de nosso grande Amigo e Irmão, parceiro de tantas lutas ainda inacabadas que não teremos mais ao nosso lado nessa existência: comandando, apoiando e contribuindo de todas as formas para nossos avanços. 

Medo porque cada vez mais constatamos o contínuo esvaziamento do Grande Navio de Amotinados. Já somos tão poucos que mesmo  todos se desdobrando em várias atividades, a falta de renovação e, porque também não dizer de união, já compromete nosso futuro.

Foi o Zózimo que estava no comando do Navio quando aportamos no MAM, em 1978, para as comemorações dos "Noventa Anos da Abolição" depois de atravessarmos, mais uma vez, com grandes dificuldades mas libertos, o grande mar tenebroso, tendo que enfrentar o escritor José Candido de Carvalho, entao presidente da Funarte em grandes batalhas até conseguirmos a liberação da verba para o a realização do Evento. Foi junto com ele que superamos a burocracia da Caixa Econômica Federal para descontar  o cheque emitido pelo governo federal. Ele também esteve lá quando, depois de tudo isto, Heloisa, a diretora do MAM de então, nos negou o espaço comprometido a mais de três meses, mas vencemos juntos também essa exigindo as áreas externas do Museu. O Evento foi um grande sucesso, apesar da mobilização maciça da repressão da ditadura que parece ter resolvido destacar para lá todos os seus aparelhos.

Que mais poderíamos falar de Zózimo Bulbul neste momento! Talvez fosse melhor ilustrar com a foto do dia 07 de dezembro de 2010, quando apesar das grandes dificuldades financeiras com que vinha lutando à frente do Centro Afrocarioca de Cinema - aqui mais uma de suas grandes virtudes, a generosidade - resolveu por ajudar financeiramente o movimento para Recuperação do IPCN.


Nenhum comentário:

Postar um comentário